Edifícios Industriais em Aço ( Apostila Petrobrás )

Posted in Apostilas, Arquivos on julho 7, 2009 by Structure

Segue anexo uma apostila da Petrobrás em 3 partes muito completa a respeito de estruturas metálicas, nela você vai encontrar exemplos práticos, metodologia de cálculo, determinação de solda, tipos de fixação e escolha de perfil e material.

Para baixar acessem o link:

http://www.esnips.com/doc/17be4b0e-087f-4764-a940-ab58c735d297/Estruturas-Metálicas-[PTBR]

IT08 – Instrução Técnica 08 – Escadas

Posted in Arquivos, Instruções Técnicas on julho 7, 2009 by Structure

Seguem anexos 2 arquivos interessantes sobre escadas em edificações. Para baixar os arquivos cliquem no link:

http://www.esnips.com/doc/761b574d-7cf2-487a-bbc8-8d7ba234c62e/Escadas-em-Edificações

NBR-6123 – Ações do Vento em Edificações

Posted in Arquivos, Normas on julho 6, 2009 by Structure

Segue um link para baixar 2 arquivos relacionados à NBR-6123.

http://www.esnips.com/doc/95d02296-2981-4f51-892a-9db0d16a66fd/NBR-6123

PORQUE CONSTRUIR COM ESTRUTURAS METÁLICAS

Posted in Artigos Técnicos with tags , , , , on junho 30, 2009 by Structure

Vou começar o blog com um artigo técnico retirado do site:

http://www.metalica.com.br

Não acho válida a simples comparação dos dois sistemas construtivos pois existem, para cada tipo de construção, vantagens no uso de estruturas metálicas ou de concreto (ver quadro abaixo). Não deveria existir uma mentalidade competitiva, mas sim a de se tirar proveito do melhor de cada um dos sistemas, podendo ainda as soluções mistas serem as mais proveitosas, onde cada material é adequadamente utilizado num trabalho conjunto.

No caso de edifícios, onde mais se insiste em comparações, é quase impossível afirmar “a priori”, que a estrutura metálica seja melhor ou pior que a de concreto. Cada caso deverá ser examinado tecnicamente, visando o satisfatório resultado de custo-benefício.

A tendência na área de construção é de aumentar a utilização das estruturas metálicas, ainda carente no Brasil por um fato cultural e histórico. Hoje em dia, a mentalidade está mudando, especialmente por parte dos arquitetos, que são sempre os grandes aliados dos sistemas construtivos.

Com a existência de fábricas maiores e de projetos mais sofisticados, aliados à maior experiência, a quantidade de estruturas metálicas para grandes obras tem aumentado.

QUADRO COMPARATIVO DAS CARACTERÍSTICAS DOS 2 TIPOS CONSTRUTIVOS (Considerando no entanto, que cada caso deve ser criteriosamente avaliado)

 

Edifício Estruturas metálicas

Edifício com estruturas de concreto

 

1) Na administração da obra

Execução em fábrica
Apenas montada no canteiro

Execução predominantemente no canteiro

Grande precisão dimensional

Menor precisão dimensional

Grande precisão quantitativa dos materiais

Maior dificuldade de precisão de quantidades

Poucos itens de materiais (aço, parafusos, eletrodos) (tintas)

Maior diversificação de materiais (cimento, areia, brita, água, formas de madeira, ferros, aceleradores, etc.)

Qualidade garantida das matérias primas (pelas usinas)

Dificuldade de garantia de qualidade – maior controle necessário

Uniformidade das matérias primas

Variedade dependendo da procedência

Pouca quantidade de homens na obra (menos problemas trabalhistas) com maior qualificação

Maior quantidade de pessoal na obra, com menor qualificação (mais do dobro ou triplo)

Canteiro diminuto (material chega pronto no tempo certo)

Canteiro maior para matérias primas e manuseio

Simplificação do canteiro (minimização ou exclusão de escoramento para forros de laje)

Canteiro mais completo, existência de escoramento com pontaletes

Obra seca

Obra com muito uso de água

Maior facilidade de fiscalização

Fiscalização mais completa

 

2) Nas fundações

Leveza estrutural

Peso estrutural maior

40 a 80 kg/m2 (vigas e colunas)

250 a 350 kg/m2 (vigas e colunas)

Menores cargas nas bases

Bases mais solicitadas

Volumes menores nos blocos

Maiores volumes

Sistemas mais econômicos

Sistemas mais onerosos

 

3) Nas lajes

Quando lajes de concreto lançado
Formas apoiadas diretamente no vigamento

Necessita maior escoramento para formas

Grande rigor nos níveis

Menor rigor nos níveis

Liberação antecipada dos pavimentos para outras operações

Impedimento de trânsito enquanto escorado

Maior velocidade da construção

Velocidade dependendo da cura do concreto das colunas

Facilidade de escadas pré fabricadas

Dificuldade na execução de formas para escadas

 

4) Nas paredes (alvenarias ou outros materiais)

Precisão milimétrica

Maior variação dimensional

Esquadros e prumos exatos resultando em maior perfeição da execução, com tempo reduzido

Irregularidade de prumos e esquadro, aumentando o tempo de execução com enchimentos

Sensível economia na mão de obra de execução

Custo de execução mais onerosa em vista de imperfeições

 

5) Nos revestimentos

Níveis precisos nas lajes e prumos exatos, minimiza massas de revestimento em pisos e paredes com economia do peso morto

Necessidade de maior espessura de revestimento em lajes e paredes

Facilita o uso de materiais completares pré fabricados (painéis, forros, etc.)

Necessita aplicação de insertes e elementos de regulagem na fixação

 

6) Instalações elétricas – hidráulicas – proteção contra fogo e instalação do canteiro

Pilares e vigas podem ser furados na fábrica ou na obra

Dificuldade de execução de furos nas colunas e vigas

Facilita passagem de tubulações, permite alteração nas instalações na obra

Impossibilidade de alteração após a execução da estrutura

Necessita proteções contra fogo mais sofisticadas

Proteção contra fogo simplificada

 

7) Prazos

Simultaneidade de execução da estrutura e fundações

Dependência de terminar as fundações para iniciar execução da estrutura

Avanços da montagem de 3 em 3 pavimentos

Avanços de um em um pavimento

Possibilidade de alvenarias acompanharem a montagem

Dificuldade de execução de paredes enquanto a estrutura estiver escorada

 

8) Custo financeiro

Prazos finais reduzidos
Antecipação de utilização

Maiores prazos aumentam os custos

Retorno mais rápido e utilização antecipada

 

 

 
 
  • Aumento da área líquida com aumento de valor venal e locativo.
  • Aumento dos espaçamentos entre colunas, aumentando a área útil nas garagens.
  • Maior nº de andares para o mesmo gabarito, considerando vigas menos altas ou emprego de estruturas mistas.
  • Maior facilidade de manutenção.
  • Diminuição de patologias no decorrer do tempo.
  • Menores riscos de alterações de previsão e demanda graças à rapidez de entrega.
  • Maior valor residual (no caso de desmontagens) com reaproveitamento de todo material estrutural.
  •  

    Paulo Alcides Andrade
    Engenheiro Civil e Industrial
    Fundador, diretor e técnico responsável da PAULO ANDRADE Engenharia de Estruturas Metálicas S/C Ltda., atuando nas áreas de consultoria, projeto e gestão de qualidade.

     

    Link original do artigo: http://www.metalica.com.br/pg_dinamica/bin/pg_dinamica.php?id_pag=162